sergio-campos @ 16:27

Seg, 28/02/11

A última reunião com os orientadores foi fundamental para cimentar algumas das decisões que o grupo havia tomado em relação ao projecto. 

 

Começamos por mostrar e discutir o briefing entregue para a disciplina de projecto com os orientadores, que mostraram a sua aprovação. 

Depois foram discutidas questões relativas à calendarização e às prioridades a estabelecer no projecto, tendo em conta a sua especificidade.  A professora Lídia sugeriu a criação de um documento onde listassemos os nossos objectivos específicos, alinhados com os objectivos gerais da disciplina de projecto, de forma a alinhar o tempo correctamente com todas as tarefas que temos a desempenhar (tarefas essas que darão origem aos dois produtos finais: o documentário e a plataforma web). Esse documento já está a ser produzido pelo grupo e será brevemente publicado no blog. 

 

O tema de discussão seguinte foi o focus group. Uma vez que não queremos integrar apenas jovens portugueses alargando assim o estudo ao contexto europeu, a multiculturalidade surge como o elo lógico de ligação dos diversos temas em que o documentário se foca. Será esse o ponto que ligará as áreas em discussão: qual é a percepção, de cada uma delas, no nosso país e na restante Europa? Quais as diferenças experienciadas pelos jovens de diferentes países da EU em relação a cada um dos temas? 

 

Uma vez que não temos qualquer experiência na realização de focus groups, os professores sugeriram-nos algumas técnicas para que este funcione: lançar “temas quentes”, ou seja, que provoquem a discussão, ou um dos moderadores tomar uma posição mais radical que obrigue à retaliação dos participantes e os leve a querer intervir. 

 

Foram também dadas sugestões relativas a formas de criar um ambiente propício à discussão aberta e à participação: uns petiscos surgiram como boa opção (e o LIDL é, de facto, famoso nesse aspecto). 

 

O próximo grande passo será a formação do focus group. Para isso, já contactamos o professor Rui Raposo, responsável pelos Erasmus no nosso curso, de forma a conseguir alguns membros de outras nacionalidades. No entanto, caso se verifique que o processo é moroso, ou que existe uma elevada concentração geográfica dos erasmus em NTC, tentaremos outras abordagens. 

 

Em resumo, na reunião da última sexta-feira, dia 25 de Fevereiro, abordaram-se, de uma forma geral, os seguintes pontos:

Briefing do trabalho realizado até á data (durante a última semana);

Discussão acerca da calendarização e prioridades do projecto;

Clarificação e aconselhamento acerca dos objectivos a definir e das formas de abordagem aos mesmos; interpretação dos objectivos propostos tendo em conta o enquadramento do projecto (vídeo documentário/plataforma web);

Diversidade cultural – sugestão de tema a abordar como elo de ligação entre os restantes temas;

Técnicas de abordagem ao focus group – “pontos quentes” como estimulo para a discussão; imagens/vídeos provocadores; 

Discussão acerca das diferenças culturais presentes na Europa e de conflitos presentes na Comunidade;

Métodos para quebrar o gelo/entrave inicial à discussão.

 



hugo-jp-araujo @ 18:25

Qui, 24/02/11

 O projecto Eurágora - Briefing

"Ágora era a praça principal na constituição da pólis, a cidade grega da Antiguidade clássica. (…) Enquanto elemento de constituição do espaço urbano, a ágora manifesta-se como a expressão máxima da esfera pública na urbanística grega, sendo o espaço público por excelência. É nela que o cidadão grego convive com o outro para comprar coisas nas feiras, onde ocorrem as discussões políticas e os tribunais populares: é, portanto, o espaço da cidadania. (…)" in Wikipedia

 

O projecto Eurágora tem por objectivo mostrar qual a percepção e opinião dos jovens sobre o que é “Ser Europeu” e quais as perspectivas que criaram acerca da União Europeia.
Para isso, serão avaliados diversos factores que contribuem para a construção desta identidade.

 

O nosso público-alvo é constituído por jovens entre os 18 e os 25 anos, uma vez que é a faixa etária que nos engloba e que nos rodeia no ambiente universitário. Para além disso, pensamos conseguir chamar a sua atenção uma vez que os jovens gostam de saber o que está a acontecer à sua volta, além de facilitar a nossa pesquisa e a nossa recolha de testemunhos reais que incorporem o vídeo.

 

Pretendemos formar um “focus group” que nos permitirá recolher opiniões que nos ajudarão na construção do documentário. Essas opiniões serão a nível da realização do mesmo e também serão parte integrante do vídeo, de forma a complementar as informações que transmitimos.
O “focus group” será envolvido no documentário desde o início, pois pretendemos que a sua contribuição inicie logo na fase se construção do storyboard.

 

O documentário será dividido em cinco partes, e cada uma tratará um dos temas a focar.
O primeiro tema a avaliar é o consumo dos media e bens culturais, como televisão, cinema, música, literatura, rádio e imprensa. O consumo da Web e, especificamente, das redes sociais, é um tema independente (segundo tema), tendo em conta a sua elevada importância, e a ligação directa com a nossa área de estudo. Em terceiro lugar, focaremos a mobilidade dos jovens na União Europeia, e pretendemos analisar o uso que estes fazem dos transportes (nomeadamente dos low cost) e qual a sua percepção da contribuição da abertura de fronteiras para esse facto.
De seguida, vamos mostrar alguns dados relativos aos programas de mobilidade estudantil, que são cada vez mais uma opção dos jovens da faixa etária em estudo.
O último factor a tratar é a migração. No seguimento da mobilidade, tentaremos perceber e demonstrar quais os efeitos dessa mobilidade em quem a pratica e nos habitantes dos países de acolhimento. Sendo a emigração uma realidade cada vez mais aceite e prevista pelos jovens, este é um tema que merece atenção.

 

Esta escolha temática difere da proposta inicial, que se focava apenas nos media e bens culturais, pois consideramos que só avaliando a influência deste conjunto de factores tão decisivos é possível compreender como é construída esta percepção europeia nos jovens.
O documentário tratará cada um desses temas através de uma fase de informação, em que transmitimos através de infografias alguns dados e estatísticas relevantes, seguida de testemunhos recolhidos no “focus group” acerca do tema tratado.


O nosso grande objectivo e relacionado com o nome do projecto, é dotar o mesmo com um “eye-opening”: não nos queremos limitar a informar a comunidade acerca das temáticas referindo estatísticas e investigações sobre os diferentes assuntos, pretendemos que seja um processo de abertura de experiências e cooperação da comunidade jovem, uma “ágora” virtual de partilha e discussão.

 

O último passo do projecto é, então, a criação de uma plataforma web de divulgação do documentário que possibilite comentários e essa mesma discussão e troca de opiniões e experiências. Este passo constitui uma força, e faz o nosso projecto diferir dos restantes: nenhum documentário / vídeo dos que tivemos conhecimento na pesquisa de estado da arte era acompanhado de uma plataforma específica de discussão, todos estavam localizados em plataformas gerais de partilha de vídeos.

 

Outra das grandes forças do nosso projecto consiste na abordagem de um tema específico que ainda não tem nenhum produto audiovisual concreto sobre o mesmo. No entanto, aquilo que realmente torna “Eurágora” um projecto diferente e inovador é o seu papel interventivo e participativo, chamando o público – alvo a tomar parte na pesquisa e construção do produto final.

 




pedrovitoria @ 16:00

Qui, 24/02/11

Infografia da National Geographic (7 billion) (link)

Este vídeo é uma infografia realizada pela National Geographic que mostra a evolução da população mundial através de simples dados estatísticos. A informação é mostrada de uma forma clara, directa e simples (quatro cores distintas e alguns gráficos), usando metáforas apelativas e esta é a grande força deste vídeo: capta a atenção do espectador.

Return to Europe (link)
Este documentário realizado por Martin Traxl e Nikolaus Wisiak, dá a conhecer ao Mundo a região dos Balcãs de uma forma aprofundada e com a visão do povo. É composto por 10 episódios, um correspondente a cada país, o que faz dele um documentário muito extenso ( aproximadamente 10h ) o que pode desmotivar até o espectador mais faminto de cultura do sudoeste europeu.

 

Europe and You (2009) (link)
Este é um produto realizado pela Comissão Europeia, datado de 2009. O objectivo do vídeo é transmitir a contribuição da União Europeia para os países membros, lançando alguns tópicos.
Os dados são mostrados de forma clara, e tem como aspectos positivos o uso de gráficos juntamente com imagem real, usando metáforas visuais interessantes. Tem a desvantagem de só lançar preposições sem mostrar dados justificativos.
Numa fase em que frequentemente se põem em causa os benefícios de adesão à UE, e o que esta tem feito pelos países, este vídeo pode surgir como uma resposta eficaz, e chama públicos-alvo que não chamaria noutro contexto.

 

Europe and You (2010) (link)

Este vídeo foi criado no mesmo contexto do anterior, mas no ano seguinte. A juntar às forças / fraquezas do anterior, achamos interessantes os separadores dos vários temas com uma consistência gráfica interessante entre eles, utilizando a metáfora do origami, assim como a forma como se “abriam” para apresentar o tema.

 

The growth of the Euro Area (link)

A grande força deste vídeo, que mostra o crescimento da União Europeia, é a utilização da tecnologia 3d que, associada à metáfora da construção pontes para simbolizar a crescente união, cria um efeito visual muito interessante e belo.

A mensagem é forte, e a imagem complementa muito bem a mesma, captando a atenção de quem vê para a ideia que se pretende transmitir.

 

200 countries, 200 years, 4 minutes (link)
Documentário com a intervenção de Hans Rosling que possibilita a expansão da mente e a reflexão directa acerca de como a população evoluiu desde o passado, qual a situação presente e as tendências para o futuro, que são normalmente preocupações cada vez mais presentes em cada individuo que é pro-activo e modificador do seu próprio destino. A demonstração flexível e divertida, torna atractivo um processo de divulgação normalmente estático e unicamente informativo. Apesar do uso de dados estatísticos acerca do passado, presente e suposto futuro, a interacção e dinâmica da demonstração dos mesmos torna o processo de percepção mais eficaz. O carácter lúdico e palpável do documentário esconde uma mensagem muito importante: o Mundo sem estatísticas e reflexão torna-se confuso, mas através das mesmas conseguimos tomar controlo sobre as nossas vidas e ver o Mundo no seu verdadeiro aspecto. A utilização das novas tecnologias, neste caso, da realidade aumentada e edição vídeo é um aspecto diferenciador.

Apesar da grande atractividade visual e o dinamismo presente em toda a duração do vídeo, consideramos que a rápida transição dos conteúdos pode por em causa a eficácia da transição dos conteúdos para o público-alvo. O público-alvo a atingir também se pode tornar muito restrito.


The Lisbon Treaty's Social Side (link)
O video trata-se de uma infografia produzida pela European Anti-Poverty Network (EAPN) Ireland, e através da exposição dinâmica de conteúdos e informações textuais, apoiados por simbologia adequada a cada afirmação, de um assunto de certa forma desinteressante, pelo menos para a maior parte da população, consegue-se atrair a atenção dos mais desinteressados. A forma como os conteúdos se interligam e a constante indagação acerca das vantagens e desvantagens da temática em questão, cria o sentimento de curiosidade e a vontade de dar opinião e debater. A bipolaridade dos argumentos é bastante importante para fomentar a discussão e argumentação.

Corre-se o risco de descentralizar o objectivo do projecto, de maneira que a mensagem não se consegue transmitir, devido à focalização no grafismo e não nos conteúdos.

 

Inovation Union (link)
A Inovation Union é uma das iniciativas da Comissão Europeia e tem por objectivo aumentar as condições e o acesso a financiamento para a investigação e inovação na Europa, para garantir que as ideias inovadoras de transformem em produtos e serviços que criam o crescimento dos empregos. O vídeo incorpora diferentes tecnologias e no geral inova quanto à demonstração de conceitos e objectivos na Europa, no entanto, torna-se um pouco vago.

 

A completar os textos anteriores, encontra-se em anexo um documento pdf com a definição dos produtos analisados no levantamento do estado da arte e a tabela da análise swot realizada: 

 

Levantamento do estado da Arte.pdf

Análise SWOT do Estado da Arte

 Análise SWOT

 

 

Analisando todos os vídeos anteriormente citados podemos retirar algumas conclusões que, confrontadas com a nossa missão, visão, valores, cultura e personalidade associadas, e com a análise SWOT que realizamos do nosso projecto (ver Pressupostos iniciais e análise SWOT do projectoEuragora.pdf), nos ajudou a compreender quais os nossos objectivos e aquilo que queremos realmente por em prática no projecto Eurágora.

Os dados estatísticos recolhidos serão transmitidos através de infografias simples e claras, que captem a atenção do espectador. Integraremos, a cada uma das partes do vídeo, testemunhos que darão um carácter fidedigno e de interacção do público-alvo ao documentário. Por fim, e uma vez que é uma característica que nenhum destes produtos analisados possui, daremos destaque à plataforma de partilha e discussão do documentário e do tema associado. Este é, de facto, o nosso ponto forte: o carácter interventivo e participativo que o documentário tomará. 




vpmoliveira @ 23:06

Dom, 20/02/11

 Na passada Sexta-feira realizou-se a segunda reunião com os orientadores de projecto.

 

O grupo começou por fazer uma curta síntese do trabalho realizado ao longo da semana, mostrando os resultados das nossas pesquisas de estado da arte.
Depois, apresentamos as ideias que desenvolvemos para a estrutura do documentário (duração, tipo e estrutura) e os orientadores deram algumas sugestões relativas essencialmente à estrutura do documentário e à sua duração. O professor Ferraz apresentou uma sugestão que o grupo achou muito interessante: criar um documentário que se fosse construindo dinamicamente. 


A ideia baseia-se em não criar um documentário linear e de uma só vez, mostrando-o e, assim, recebendo feedback apenas no final, mas dividir o mesmo em partes. Depois de criar a primeira parte, (que poderá, eventualmente, corresponder a um dos temas que pretendemos abordar), este seria mostrado a um grupo de pessoas que dariam o seu feedback e seria baseado nas suas reacções que melhorávamos a primeira parte e criávamos a segunda. Íamos assim testando o nosso documentário e a reacção que este provoca no público-alvo ao longo da construção do mesmo. Esta ideia mostrou-se bastante interessante e pertinente para nós uma vez que pretendemos fomentar a reflexão e a discussão dos espectadores acerca do tema e não apenas transmitir informação. 


Foi depois discutida a hipótese de pôr esta ideia em prática junto do “focus group” que o aluno de mestrado Carlos Reis (que está a desenvolver um projecto baseado no mesmo tema) está a juntar para o seu projecto. Esta opção foi, posteriormente, posta de parte, uma vez que o tempo que dispomos é curto e poderíamos ter dificuldades em conseguir conciliar a nossa calendarização com o do focus group. Optamos, então, por criar um com alunos da universidade, especificando assim a idade para os 18 até os 25 anos. 
Através de reuniões com esse grupo, que pretendemos que tenha cerca de 8 pessoas, de ambos os sexos, diferentes cursos, idades e nacionalidades, vamos construindo o nosso documentário, seguindo as suas sugestões e construindo as nossas conclusões com base naquilo que vai sendo discutido. As suas ideias e argumentos poderão ser integrados no vídeo em forma de testemunhos, tornando-o mais rico. 


O último tópico discutido foi relativo à plataforma de partilha do vídeo. Na última reunião, o grupo ficou com a tarefa de procurar mais informação sobre as duas opções possíveis: criar de raiz ou trabalhar a partir de um CMS. Tendo em conta o tempo disponível e a utilidade da plataforma, o grupo optou por criar com base num CMS. Assim, o próximo passo é escolher qual o mais apropriado. 


Fica aqui um resumo rápido da reunião e do post de tamanho familiar:

Síntese do trabalho realizado até á data;

Discussão e confronto de ideias relacionadas com a duração, tipo e estrutura do documentário;

Divisão do documentário em secções , por temas, e inclusão de testemunhos captados num focus group;

Decisão dos detalhes da constituição do focus group;

Decisão da construção da plataforma de partilha do vídeo com base num CMS. 

 

Focus Group

 




sergio-campos @ 19:20

Sab, 19/02/11

(Depois de alguns posts, chegamos à conclusão de que ainda não tínhamos realmente explicado de que se trata o projecto Eurágora. Assim, aqui está um ponto de situação do mesmo.)

O projecto em desenvolvimento tem por objectivo mostrar a influência dos media e do consumo dos bens culturais na percepção que os jovens têm da Europa. 

Após reunião com os orientadores de projecto, e já com algumas ideias de execução do projecto, surgiram muitas temáticas e factores que podemos incluir na nossa análise  e no produto final que iremos realizar.

A produção e edição de um documentário, a utilização de uma plataforma web que possibilite comentários e a abertura de um espaço de discussão e partilha de informação são os objectivos finais na realização do projecto.

No entanto, não nos queremos limitar a informar a comunidade acerca das temáticas  referindo estatísticas e investigações sobre os diferentes assuntos, pretendemos que seja um processo de abertura de experiências, cooperação da comunidade jovem e dotar o projecto como um “eye-opening”.

Assim, até ao momento, surgiram algumas iniciativas por parte do grupo e em cooperação com os orientadores para a realização do documentário seccionado por diferentes temáticas, no qual será dada a possibilidade de trabalho conjunto com um "focus group" diversificado (nacionalidade e género). Possivelmente serão realizadas 2 a 3 versões de cada um dos trechos de vídeo: versão original, a comentada (opiniões dos diferentes elementos do "focus group", como testemunhos reais) e o making-of.

A comunicação entre a equipa de realização e produção com o "focus group" ainda está a ser estudada de forma a garantir que nenhuma informação relevante seja perdida e para que as questões linguísticas não sejam um factor de desentendimento para qualquer utilizador do projecto.

 Brainstorming com os conceitos fundamentais do projecto




vpmoliveira @ 14:40

Qui, 17/02/11

Na passada Sexta-feira (11Fev.) realizou-se a primeira reunião com os orientadores do projecto Eurágora.

A reunião consistiu na apresentação daquilo que cada um dos intervenientes idealiza / pretende deste projecto, e foi com agrado que constatamos que as opiniões e expectativas do grupo e dos professores convergiam, e surgiram boas ideias e sugestões. 

O projecto baseia-se em três ideias fundamentais: jovens, europa e media e bens culturais, mas no contexto da reunião, surgiram mais conceitos que influenciam o rumo do projecto - mobilidade, através dos media ou mesmo dos transportes, emigração, programas de intercâmbio e a evolução no tempo de todos estes temas (este último deu origem a histórias caricatas de pessoas que, com astúcia, passavam a perna à própria tecnologia!). 

A professora Lídia explicou-nos mais detalhadamente o contexto em que surgiu esta proposta, e deu-nos algumas sugestões de locais para pesquisar informação.

Já o professor Jorge Ferraz, mostrou uns quantos vídeos que nos poderiam servir de inspiração, e deu-nos algumas ideias interessantes para a construção do documentário. 

Foi também abordada a questão da plataforma que vai servir para publicar o documentário, e que será como uma rede social, onde os seus visitantes poderão comentar o vídeo, publicar outros relacionados, e discutir o tema. O grupo tem agora que discutir os diversos prós e contras das várias opções para essa plataforma (criar de raíz ou com base em algum CMS? ) 

Na reunião foi também dada relevância à abertura da mente/divagação em relação ao projecto, de forma a encontrar o máximo de conceitos, temas relacionados, ideias, para que, aquando da idealização final do projecto, não seja colocada de parte nenhuma possibilidade e o caminho a percorrer se torne consistente e uniforme.

O próximo passo, e que o grupo se tem andando a debruçar, é a pesquisa sobre o estado da arte: o que foi feito e que se enquadra nos nossos objectivos, e que informação há sobre o assunto.

Sexta-feira é a próxima reunião, e já vamos levar algumas ideias definidas, nem que seja sobre o que NÃO queremos fazer!

 

Cumprimentos :) 




vpmoliveira @ 14:40

Qui, 17/02/11

Aqui está o mapa de Gantt que resultou não só do trabalho desenvolvido na aula de projecto de segunda feira, mas também das conversas do grupo nos últimos dias.  

EURAGORA.pod

 

O escasso número de dias para cada módulo ajudou a perceber o porquê de 18 ECTS...

Despedimo-nos assim com votos de boa sorte para nós e para todos!  :)

 

 

 


Tags:


hugo-jp-araujo @ 17:39

Seg, 14/02/11

Dá-se assim início a este blog, que vai acompanhar esta caminhada (por enquanto, hipotética) por caminhos europeus. 

 

Nesta primeira aula de projecto, criamos o blog e começamos a traçar o diagrama de Gantt que vai orientar o desenvolvimento deste projecto. Também discutimos e partilhamos algumas pesquisas de estado da arte que os elementos do grupo fizeram individualmente ao longo do fim-de-semana.

Voltamos em breve com um resumo da primeira reunião com os orientadores de projecto Professor Jorge Ferraz e Professora Lídia, na passada sexta-feira. 

 

Cumprimentos e votos de um bom semestre de trabalho 

O grupo 



Blog do projecto do 3º ano de NTC no âmbito da UC de Projecto.
Pesquisar
 
Ligações
diigo library
Arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO